Um estudo recente publicado no periódico científico JAMA Internal Medicine mostra que quem se exercita ao menos uma vez por semana já consegue melhorar seu desempenho cardiovascular e respiratório e aumentar a resistência física. Além disso, está mais protegido contra o risco de morte prematura¹, que pode ser reduzido em até 30%.

Segundo os especialistas praticar uma atividade física regularmente é uma das melhores formas de prevenção e controle de problemas de saúde, principalmente de doenças crônicas, como obesidade e diabetes. Esse estudo motiva aqueles que gostariam de praticar uma atividade física, mas ainda não inseriram a prática regular em sua rotina.

“Quando são diagnosticados com diabetes tipo 1 ou 2, por exemplo, muitas pessoas acreditam que não poderão mais levar uma vida ativa, relacionando a prática de atividades físicas a crises de hipoglicemia (quando a taxa de açúcar no sangue diminui drasticamente). Porém, seguindo alguns cuidados simples que seu médico pode orientá-lo de acordo com a intensidade da atividade física e nível de açúcar no sangue, a prática de atividades físicas é benéfica e auxilia no controle da doença”, explica Marina Santorso, Gerente Médica de Diabetes da Novo Nordisk Brasil.

Apesar de o diabetes estar diretamente ligado ao risco de doenças vasculares, como infarto cardíaco, acidente vascular cerebral (AVC) e entupimento de artérias – estudos indicam que uma pessoa com diabetes tem 2 a 6 vezes mais chances de morte por eventos cardiovasculares, como infarto do miocárdico – a prática de atividades físicas, associada a um tratamento adequado, pode até mesmo reverter esse prognóstico.

“Os exercícios físicos melhoram o aproveitamento da glicose pelos músculos, ajudam a aumentar a sensibilidade à insulina e contribuem para a prevenção de doenças associadas, como insuficiência renal, neuropatia e retinopatia, além dos problemas cardiovasculares. Ao associá-los ao uso de uma medicação que ofereça proteção cardiovascular comprovada, estamos reduzindo o risco de complicações e aumentando a qualidade de vida”, afirma a médica Marina Santorso.

Hiker with backpack

Créditos: Mihtiander/iStock

 

As atividades físicas também são fundamentais para o controle da obesidade, problema que já afeta milhões de pessoas em todo o mundo e 18% da população brasileira adulta. A obesidade traz riscos à saúde que vão muito além do espelho: ela é considerada fator de risco para o desenvolvimento de doenças crônicas, como diabetes, hipertensão e problemas cardiovasculares – responsáveis por mais de 70% das mortes no Brasil².

De acordo com a endocrinologista e Gerente Médica de Obesidade da Novo Nordisk, Rocio Riatto Della Coletta, manter o organismo ativo é fundamental não só para o processo de perda de peso, mas especialmente para mantê-lo sob controle, grande dificuldade de quem passa pelo processo de emagrecimento.

A médica ressalta que todas as modalidades oferecerem benefícios e que a escolha deve ser feita juntamente com o médico. “Alguns se beneficiam de atividades mais intensas, como corrida; outros preferem esportes de menor impacto, como natação. O importante é manter o corpo em movimento”, completa.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), entre os benefícios oferecidos pela prática de esportes e atividades físicas estão a melhora na aptidão muscular e cardiorrespiratória; melhora da saúde óssea; redução do risco de hipertensão, doença cardíaca coronária, acidente vascular cerebral, diabetes, câncer de mama e cólon; redução dos riscos de depressão; auxílio na redução e controle de peso³.

A Novo Nordisk é uma empresa global de saúde com mais de 90 anos de inovação e liderança no tratamento do diabetes. Sediada na Dinamarca, a Novo Nordisk emprega cerca de 41 mil pessoas em 75 países.

Referências 

  1. O’Donovan, G.; Lee, I.; Hamer, M. “Association of ‘Weekend Warrior’ and Other Leisure Time Physical Activity Patterns With Risks for All-Cause, Cardiovascular Disease, and Cancer Mortality”. JAMA Intern Med. January 9, 2017. Disponível em http://jamanetwork.com/journals/jamainternalmedicine/article-abstract/2596007. Último acesso 7.2.2017.
  2. Pesquisa Vigitel 2014 - Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas. Ministério da Saúde. Disponível em www.ans.gov.br/images/stories/Materiais_para_pesquisa/Materiais_por_assunto/2015_vigitel.pdf, último acesso: 08.02.2017.
  3. Organização Mundial da Saúde – WHO. Fact-sheet “Physical activity”, disponível em www.who.int/mediacentre/factsheets/fs385/en/. Ultimo acesso: 06.02.2017.